5 trilhas para curtir de bike em SC

Trilha-da-Olaria-Floripa-Honesta

1 – Trilha da Olaria – Santo Antônio de Lisboa / Sambaqui – Florianópolis
Nível de dificuldade: Média
Tempo médio: 1 hora

Esse circuito tem muitas subidas e descidas curtas, lembrando o cross country. Por ser próximo ao Centro de Florianópolis, é uma boa opção para um treino e também para se divertir.


A saída fica na margem da SC-401. Depois é possível seguir em direção ao centrinho de Santo Antônio e seguir para Sambaqui, pela Rua Gilson da Costa Xavier. O acesso a trilha da Olaria é pela Rua Antônio Dias Carneiro. No fim da rua, a direita, antes de acabar a pavimentação existe um corredor entre duas cercas, é apertado mas dá para atravessar. A trilha é curta, mas a descida tem vários degraus e também folhas que escondem um pouco os obstáculos. A saída da trilha é na Estrada Isid Dutra, na Barra do Sambaqui. Seguindo pela esquerda você encontrará o segundo trecho de trilha, esse trecho tem vistas de tirar o fôlego.

Apesar da dificuldade técnica nas descidas, vale a pena a aventura. De volta a Rua Gilson da Costa Xavier, é possível seguir até o início da Estrada Isid Dutra, em Sambaqui, e em seguida a direita na Rua Padre Rohr, até o ponto de saída.

Como chegar: Automóvel / Bike
Vindo do centro de Florianópolis, siga pela SC-401 até Santo Antônio de Lisboa, retorne e estacione próximo ao restaurante do Chico.

Trilha-de-São-Pedro-de-Alcântara-Floripa-Honesta2 – São Pedro de Alcântara/Antonio Carlos
Nível de dificuldade: Média / Alta
Tempo médio: 2 horas

Esse roteiro passa pelo interior dos municípios de São Pedro de Alcântara e Antônio Carlos, região que recebeu os primeiros colonos alemães em Santa Catarina, e pelas comunidades que vivem da terra e abastecem os mercados da Grande Florianópolis de frutas e hortaliças.

Durante o percurso é possível observar as plantações à beira da estrada. Saindo do centrinho de São Pedro de Alcântara a trilha segue pela SC-407 em direção a Angelina. Em seguida, deve-se entrar à direita em direção a Louros. É possível avistar cachoeiras no trecho, depois de uma série de subidas e descidas o caminho chega ao município de Antônio Carlos, área bastante plana.

A surpresa final é o morro da Usina. São mais de 3 km de uma subida, as inclinações não são muito grandes, mas o morro é bem comprido. Após chegar ao topo será a vez de encarar uma grande descida e depois um pequeno trecho plano pela SC-407 de volta até São Pedro de Alcântara.

Como chegar:
Vindo do centro de Florianópolis, siga pela BR-101 (direção sul) e acesse a SC-407 em São José até São Pedro de Alcântara. Estacione na Praça São Pedro de Alcântara.

Veja mais: 5 Trilhas em Santa Catarina

Trilha-Saco-Grande-Ratones-Floripa-Honesta3 – Trilha Saco Grande / Ratones – Florianópolis
Nível de dificuldade: Média / Alta
Tempo médio: 2 horas

A subida inicial já mostra que essa trilha não está para brincadeira. Além da inclinação – onde é preciso empurrar a bike em alguns trechos – o terreno da trilha é formado por um areão grosso, dificultando a tração. A vantagem é que o caminho é bem aberto, já que foi utilizado por veículos para a instalação de torres de transmissão de energia.

Depois de chegar ao topo as coisas ficam mais fáceis. É possível seguir por vários caminhos, uma das trilhas a direita leva a um mirante, perto de uma torre de transmissão de energia e depois até a Pedra do Balão. No retorno desse trecho pela esquerda o caminho leva em direção a Ratones. As vistas são lindas, sendo possível avistar toda Beira-Mar Norte e também boa parte do vale de Ratones.

É preciso tomar cuidado para não se distrair com o visual, pois a trilha tem várias erosões cortando o caminho em todos os sentidos. O final da trilha fica em uma fazenda em Ratones.

Como chegar: Automóvel / Bike
Vindo do centro de Florianópolis, siga pela SC-401 até Saco Grande, estacione próximo ou no próprio Floripa Shopping.

Trilha-da-Pedra-Branca-Floripa-Honesta4 – Trilha da Pedra Branca – São José/Palhoça
Nível de dificuldade: Médio
Tempo médio: 2h 10m

A Pedra Branca é uma das trilhas mais conhecidas na grande Florianópolis. Nos finais de semana é fácil encontrar as mais diversas tribos nas trilhas locais, como motoqueiros, jipeiros, mountain bikers, cavaleiros e praticantes de trakking.

O caminho mais utilizado tem sua subida pelo bairro do Sertão do Imaruim, onde o estado do terreno não é dos melhores, devido a passagem de jipes e motos com terreno molhado. A maior parte desse acesso é formado por uma estradinha estreita, grande parte sem cobertura de arvores. A inclinação é uma das principais dificuldades, o que exige bom preparo físico. O percurso final de subida é por uma trilha estreita, cercada de barrancos com bastante inclinação, onde é preciso tomar cuidado. A vista do topo da Pedra Branca é deslumbrante, em dia de céu aberto é possível ver grande parte da Ilha de Santa Catarina, além das vistas de São José, Palhoça e Santo Amaro da Imperatriz.

Descendo pelo mesmo caminho de acesso a Pedra, é possível seguir pela esquerda, em direção a Colônia Santana. Essa trilha, apesar de também apresentar erosão permite uma descida mais tranquila, compensando a subida dura. O final da trilha é na Colônia Santana e o retorno ao Sertão do Imaruim é pela SC-407.

Como chegar: Automóvel / Bike
Vindo do Centro de Florianópolis pela via expressa, acesse a BR-101 e siga em direção ao sul até a SC-403. Siga pela rodovia até o bairro do Sertão do Imaruim. Estacione próximo a igreja católica no Sertão do Imaruim. 

Trilha-do-Pagará-Floripa-Honesta5 – Trilha do Pagará / Morro do Gato – Palhoça/Santo Amaro da Imperatriz
Nível: Médio
Tempo médio: 2 horas

Uma série de estradinhas do interior de Palhoça e Santo Amaro da Imperatriz formam esse roteiro, a saída fica no bairro São Sebastião e sobe o caminho do Pagará, a subida é longa.

Seguindo por trás da Pedra Branca, a sequência passa por uma estradinha que desce até Santo Amaro da Imperatriz. Depois de percorrer um trecho da BR-282 volta-se à Palhoça e por uma trilha pelo Morro do Gato, retorna-se ao ponto de partida.

O cenário é lindo e tranquilo, as estradas estreitas da região em contraste com a natureza, com muitos sítios e pastagens, torna-se ideal para os amantes do Mountain Bike.

Como chegar: Automóvel / Bike
Vindo do Centro de Florianópolis, pela Via Expressa, siga até Palhoça pela BR-101. Próximo ao Super Mercado Comper (no lado esquerdo da rodovia) acesse a via marginal, entre a direita na Rua 22 de Agosto e siga até o final. Assim que passar a igreja procure um local para estacionar.

Recomendações para uma trilha segura:
Antes de se aventurar, faça uma revisão da sua bike. Verifique os freios, lubrificação, câmbio e pneus. Não se esqueça também dos acessórios de segurança, como capacete, kit de reparos de pneu, bomba de ar e câmara de ar reserva. Além disso, é importante utilizar roupas adequadas, como bermudas, luvas e tênis ou sapatilhas.

Leve água, barra de cereais e frutas, para não passar aperto no meio do caminho. Verifique a previsão do tempo antes de sair de casa para evitar surpresas. Repelente e filtro solar também são itens essenciais.

Por fim, recolha todo o lixo que produzir e não deixe nada pelo caminho. O respeito pela natureza é primordial para a preservação de nossos paraísos.

 

Informações e fotos: TrilhasBr

Deixe uma resposta

error: Content is protected !!